11/04/2019 | 14h57 - Publicado por: Assessoria CRO-PI
Na semana do Dia Mundial de Combate ao Câncer dentistas alertam para câncer bucal
O câncer bucal é pouco conhecido, costuma ser diagnosticado tardiamente e já começa a ganhar contornos de verdadeira epidemia

Nesta segunda-feira, 8 de abril, foi o Dia Mundial de Combate do Câncer. No Brasil, um tipo de câncer tem chamado a atenção da sociedade: o câncer bucal. Ele é pouco conhecido, costuma ser diagnosticado tardiamente e já começa a ganhar contornos de verdadeira epidemia. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), mais de 14 mil casos de câncer bucal são registrados por ano, matando mais de 4 mil brasileiros anualmente, a maioria homens.

 

O diagnóstico precoce, assim como em outros casos, é essencial para que o tratamento possa ser realizado da forma mais eficiente, podendo ser feito pelo Dentista, especialista em doenças da cavidade oral ou por um Oncologista.

 

De acordo com o Dr. Leonardo Sá, presidente do Conselho Regional de Odontologia do Piauí (CRO/PI) os primeiros sintomas visíveis são feridas que não cicatrizam e manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na parte interna da boca. “Cistos e abscessos crônicos são exemplos de sinais que podem ser considerados, em alguns momentos, imperceptíveis mas que podem indicar problemas, assim como dor na região bucal e ao engolir, mau hálito, perda de peso, ausência de paladar e sensibilidade bucal e até mesmo hemorragia e úlcera”, explica o presidente do CRO Piauí.

 

O fumo e o álcool estão entre as principais causas do câncer bucal. Segundo dados do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, 83% dos homens com câncer de cabeça e pescoço, aí incluído o câncer bucal, são ou foram fumantes. Dos pacientes tratados, 60% são vítimas de tumores localizados na boca e 40% na faringe ou laringe. “É preciso estar atendo aos sintomas e buscar um especialistas assim que possível. O problema quando detectado na fase inicial têm de 80 a 90% de chances de cura.", comenta Leonardo Sá.

 

Os procedimentos de tratamento, incluem cirurgia e radioterapia, porém em casos mais graves, há também a necessidade de fazer a quimioterapia. “Geralmente a cirurgia consiste na remoção da área com a lesão ou tumor, que envolve partes adjacentes. Dependendo da área envolvida pode ou não deixar sequela”, falou o especialista.

 

Contudo, a melhor forma continua sendo a prevenção. O câncer bucal, assim como outras inúmeras doenças que ocorrem na cavidade oral, podem ser prevenidas caso haja o tratamento preventivo. "A visita periódica no dentista deve acontecer de 6 em 6 meses para realizar os procedimentos de revisão, mas o paciente também pode realizar o autoexame. De frente ao espelho você pode ir olhando partes da boca como língua (dorso, laterais e assoalho), bochechas, gengiva ao redor dos dentes, céu da boca (palato) e fundo da boca (garganta e amigdalas)”, finalizou Leonardo Sá.

 

Piauí

Estima-se que o Piauí tenha cerca de 7 mil novos casos de câncer em 2018 e 2019; o número preciso é de 3.450 casos em homens e 3.450 em mulheres segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). 

 

Em homens foram registrados 80 novos casos e em mulheres 50 novos casos de câncer na cavidade oral no Estado.

O estudo abrange o biênio 2018-2019 e as estimativas para o ano que vem são as mesmas de 2018. Os valores da estimativa estão com base a cada 100 mil habitantes.

ANIVERSARIANTES DO DIA
ADANAI DE BRITO FREIRE
AMANDA LEAL NUNES
AMANDO JOSE ALVES DE MOURA
ANDREA SILVA MARTINS
CRO NO INSTAGRAM
CRO NO TWITTER

Rua Desembargador Freitas, 1571 - Centro - Teresina/PI - CEP.: 64000-240

Contato: (86) 3222-8817 / 3221-5469

Email:  cropi@cropi.org.br

Conselho Regional de Odontologia do Piauí

Horário de Atendimento
Segunda à Sexta
08h00 às 17h30